Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

TRANSMISSÕES TAUROMÁQUICAS

Transmissão da RTP.jpg

Decisão ou prepotência?

 

Mensagem que enviei ao Provedor do Espectador da RTP em 8.Jul.2019:

A transmissão da Corrida de Toiros de Tomar pela RTP 1 teve a maior audiência na sexta-feira passada.
A RTP bem poderia aumentar o número de transmissões não só das corridas mas também a inclusão de um programa taurino semanal, tanto mais porque as corridas de toiros são o segundo espectáculo com mais interesse pelo público e logo a seguir ao futebol.”

Resposta que recebi do Provedor em 15.Jul.2019:

"Agradeço a mensagem que nos enviou.
Apesar de lhe interessar, creio que pouco a pouco as touradas deixarão de ser transmitidas pela RTP."
m/cumprimentos,
Jorge Wemans
Provedor do Telespetador"

---

Parece uma opinião pessoal de alguém que deveria ser um moderador de espírito aberto, imparcial, tolerante e respeitador das opiniões dos telespectadores.

Tal não se verifica. É fundamental ressaltar que a frieza da resposta é tendenciosa e pouco atenta ao gosto de um largo sector da opinião pública.

Não é isto que se espera do Provedor do Telespectador da Rádio Televisão de Portugal.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

RTP.jpg

 

 

 

 

Lá estão eles no Parlamento Europeu

Novo Burladero-Jul.2019.jpg

“A Europa política, nas passadas eleições para o Parlamento Europeu, deu nova viragem, uma viragem para ideologia ambientalista (…) Portugal elegeu pela primeira vez um deputado do Partido Animais e Natureza, PAN, e com isso confere representatividade deste partido que pouco tem de ambientalista e muito tem de sectarista, radical e fundamentalista, preconiza mentiras que, como diz o povo, repetidas tantas vezes podem até tornar-se verdades.

Este deputado vai juntar-se á família ambientalista, que por mero desconhecimento e ignorância voluntária, insiste em condenar, extinguir e aniquilar, sem sequer pesar as suas consequências. Não me refiro exclusivamente à Tauromaquia, mas também à Caça, sobretudo estas duas actividades e tudo o que as mesmas significam, do ponto de vista económico, histórico cultural e, imagine-se! ambientalista.”

---

Este extracto de um excelente artigo de Bernardo Salgueiro Patinhas inserido na revista “Novo Burladero” de Julho de 2019 aborda o caso de um Partido Político que tem assento na Assembleia da República e no Parlamento Europeu e que pretende denegrir sistematicamente parte da cultura portuguesa.

O mundo vê nos ambientalistas uma esperança e oportunidade de correcção dos distúrbios causados pelo homem no planeta, mas a obstinação do PAN situa-se na destruição da tourada e da caça enquanto passeia o cão nos meios urbanos, conspurcando as vias públicas e num desconhecimento completo da ruralidade e com um discurso incendiário contra toureiros, ganaderos e caçadores.

Bem esteve Bernardo Salgueiro Patinhas neste seu artigo intitulado “O vento não se toureia”. Artigo para se ler, reler e guardar.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

Bernardo Salgueiro Patinhas.png

Bernardo Salgueiro Patinhas

 

 

Ana Batista - 25 anos depois

Contracapa Arenas.jpg

Faz exactamente 25 anos que a cavaleira Ana Batista se apresentou na Praça Monumental do Campo Pequeno.

Que hoje tenha sorte, porque valor tem.

 

Recordo o texto da contra-capa do meu livro “Arenas”:

Sem a presença trágica a tourada seria também bela, mas onde os artistas se vestiriam num “faz de conta”. Ora o toureiro veste-se a rigor sabendo que pode ser a última vez. Tal não acontece no teatro ou na ópera, onde as cenas serão repetidas na sessão seguinte. No toureio não há duas faenas iguais. No toureio igual é só o perigo de morte.”

 

Ana Batista foi colhida em 6 de Julho de 2019 na corrida de toiros em Coruche tendo sido assistida no Hospital de Santarém e hoje – 5 dias depois – irá apresentar-se na Praça do Campo Pequeno para lidar um toiro da ganadaria de Jorge Carvalho.

Olé Ana Batista!

Manuel Peralta Godinho e Cunha

 

Ana Batista-cavaleira.png

 

 

 

 

 

 

 

A notícia da Corrida em Coruche

J.Moura Jr. 6.07.2019.jpg

Raramente os jornais portugueses inserem notícias relacionadas com a tauromaquia seguindo as recomendações dos animalistas, anti-taurinos, que sendo em minoria – como se pode verificar no número de votos no PAN – não deixam de intimidar as redacções dos órgãos de informação.

Assim, hoje verificámos a notícia do “Jornal i “ que só aparece com uma informação taurina porque houve colhidas na Praça de Toiros de Coruche na corrida de toiros que se realizou na noite de 6 de Julho de 2019, não obstante fazer referência também a uma análise comparativa do número de espectadores de 2011 a 2018 e a tendência comprovada de maior afluência nas bilheteiras das Praças.

Rita Pereira de Carvalho, a articulista, anotou e bem a comunicação da “PróToiro” onde se constata que neste ano de 2019 e até ao momento já se realizaram 89 espectáculos tauromáquicos e com 25% de aumento dos espectadores. Informação que não interessa de todo aos animalistas mas que é muito agradável ao governo da República que assim lá vai recebendo os impostos de um espectáculo que se realiza á porta fechada, sem subsídios do Estado, que paga muitas taxas e que é uma atracção turística.

Neste seu artigo, Rita Pereira de Carvalho fazendo referência à corrida em Coruche escreveu:

(…) Os cavaleiros Ana Batista e João Moura, da ganadaria de São Torcado, com ferimentos.”

Desconheço onde nasceram Ana Batista e João Moura Jr. mas em São Torcato não foi certamente.

“Quem te manda a ti sapateiro tocar rabecão?” – como diz e bem a antiga expressão proverbial portuguesa.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

Carta aberta a João Pedro Nunes Oliveira

Guga Oliveira-29.06.2019.png

Meu Caro Guga

A tradicional Corrida de S. Pedro teve dois triunfadores. O primeiro o curro apresentado da ganadaria do Dr. Joaquim Grave, que naturalmente foi importantíssimo para o êxito do espectáculo. E o êxito de uma ganadaria é sempre um motivo de satisfação, nomeadamente quando esse sucesso tem a ver com a seriedade do curro apresentado que, apesar de desigual, correspondeu à expectativa da maioria do público que encheu a Praça.

O segundo triunfador foi o nosso Grupo de Évora e ainda hoje – uns dias depois da corrida – quem passar nas imediações da Arena d’Évora poderá “ouvir” os ecos dos aplausos do público em pé e que exigiu no centro da arena um forcado que fez cinco enormes tentativas ao quinto e enorme toiro de Murteira Grave. E o público de Évora que sabe fazer silêncio durante o cite na pega de caras – em sinal de respeito pelo forcado – respondeu com uma ovação de luxo e retribuiu demoradamente com a única compensação a um forcado amador: os aplausos.

Esse forcado foste tu, meu caro Guga, que mais uma vez demonstraste porque és o cabo do nosso Grupo.

Há momentos importantíssimos em que um cabo de forcados deve evidenciar em Praça o que é ser o símbolo do Grupo a que pertence e quando – no centro da arena – agradeceste essa imensa ovação recordei uma outra atitude de enorme valentia e pundonor quando, na mesma arena em 1993 decorriam as comemorações do 30º aniversário dos Amadores de Évora, o teu Pai, então cabo do Grupo, emendou João Nunes Patinhas que tinha ido para a enfermaria quando tentou pegar o primeiro toiro dessa celebre corrida.

São momentos como estes que enaltecem a tauromaquia portuguesa e inesquecíveis no historial do Grupo de Forcados Amadores de Évora.

Nesta corrida de 29 de Junho de 2019 o momento mais alto e que correspondeu a prolongada ovação foi, sem dúvida a tua pega, com as cinco tentativas, só possíveis a quem teve a coragem e o saber de se colocar serenamente em frente desse toiro “cinqueño” com 635 Kg. da respeitável ganadaria Murteira Grave.

Estão os Amadores de Évora a atravessar um bom momento reflectido também nos forcados que nessa tarde pegaram de caras: Gonçalo Pires (1ª); José Maria Caeiro (1ª); Miguel Direito (2ª.); António Torres Alves (1ª) e Ricardo Sousa (1ª).

Claro que também houve momentos de valor no toureio a cavalo, nomeadamente João Moura Jr, mas também de Francisco Palha e António Prates que quiseram corresponder à responsabilidade de lidar “graves” na Arena d’Évora.

Foi uma corrida séria que contrasta com muitas outras com “toiros boiantes”.

Para ti, meu Caro Guga, um forte abraço extensivo ao Grupo e um pedido que te faço e que penso que é também o desejo de muitos aficionados: uma cernelha na próxima “encerrona” dos Amadores de Évora.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

 

Santarém, 2 de Julho de 2019

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D