Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

Uma corrida de Toiros a favor do Hospital Infantil de S. João de Deus

 

 

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

 

 

Grupo de Forcados Amadores de Évora

 1963 – 2018

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

Corrida em Montemor-o-Novo a favor do Hospital Infantil de S. João de Deus

5 de Julho de 1964

Primeira corrida que o Grupo pegou 7 toiros

 

1º toiro                                Ganadaria Prudêncio da Silva Santos

                                               Manuel Peralta                                                              

                                               Primeiro ajuda: José Eduardo Colaço

 

2º. toiro                               Ganadaria de Fialho & Irmão                                    

                                               João Nunes Patinhas                                                  

                                               Primeiro ajuda: José Eduardo Colaço

 

3º. toiro                               Ganadaria de Joaquim Murteira Grave

                                               Joaquim Manuel Goucha                                                              

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

 

4º. toiro                               Ganadaria de António Lopes Aleixo

                                               Dom Estevam de Lancastre                                      

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

 

5º. toiro                               Ganadaria de Irmãos Alves

                                               João Cortes / João Saldanha (cernelha)                              

 

6º. toiro                               Ganadaria de Fialho & Irmão

                                               José Oleiro Maltez                                                        

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

 

7º. Toiro                              Ganadaria de Fialho & Irmão                    

                                               Evaristo Cutileiro                                                           

                                               Primeiro ajuda: João Bonnevile Franco

-----

Para pegar os 7 toiros fardaram-se os seguintes elementos do Grupo:

João Nunes Patinhas (cabo), Manuel Ramos Figueiredo, Joaquim Manuel Goucha, Dom João Mário de Saldanha, João Bonneville Franco, Dom Estevam de Lancastre, Manuel Peralta, Francisco José Abreu, Evaristo Cutileiro, José Eduardo Colaço, José do Rosário Maltez, António Oleiro Maltez, Isidro Tanganho e José Manuel Faria.

 

Corrida de Homenagem a João Núncio

 

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

 

Grupo de Forcados Amadores de Évora

 

1963 – 2018

 

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

 

Corrida de Homenagem aos 50 anos de toureio de João Branco Núncio

20 deSetembro de 1964 - Praça de Toiros de Évora

7 toiros de Dom Diogo Passanha 7

 

1º toiro                                João Nunes Patinhas

                                               Primeiro ajuda: João Bonnevile Franco

2º. toiro                               Evaristo Cutileiro

                                               Primeiro ajuda: João Bonnevile Franco

3º. toiro                               Joaquim Serrão Fialho

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

4º. toiro                               António Oleiro Maltez

                                               Primeiro ajuda: Francisco José Abreu

5º. toiro                               Dom Estevam de Lancastre

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

6º. toiro                               Francisco José Abreu

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

7º. toiro                               João Bonneville Franco

                                               Primeiro ajuda: Francisco José Abreu

TTA..png

 

A pega de cernelha

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

 

Grupo de Forcados Amadores de Évora

1963 – 2018

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

 

Armando Raimundo e Carlos Conceição.png

 

Há umas dezenas de anos quando se lidavam em Portugal 8 toiros, quase sempre em corridas mistas, o grupo de forcados pegava 4 toiros e muitas vezes o cabo reservava um para a pega de cernelha. Nem sempre esse toiro era o que apresentava menos condições para a pega de caras, mas porque a cernelha era muito apreciada e solicitada pelo público.

Também os campinos mais habituados a colaborar com os forcados nesta pega e os cabrestos treinados para o efeito.

Depois apareceu, cada vez com mais frequência, a corrida com 6 toiros para a lide a cavalo e dois grupos de forcados, com três toiros para cada grupo. Então a cernelha passou a ser cada vez menos utilizada e hoje há grupos que passam uma época sem a ter praticado, a não ser que algum toiro se mostre incapaz de investir para a pega de caras ou apresente algum problema na configuração da córnea.

Também é verdade que as empresas nem sempre são rigorosas na selecção dos toiros para as suas corridas, não tendo em consideração que os toiros terão que ser pegados.

Aqui está uma foto que documenta esse facto, toiro com corno mais baixo do que o outro (bizco) que foi lidado em Montoito em 7 de Outubro de 1992 e pegado de cernelha por Armando Mendonça Raimundo e Carlos Conceição.

Bela foto do eborense António Cecílio.

Cernelha

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

Grupo de Forcados Amadores de Évora

1963 – 2018

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

 

Luis Rui e A. Maltez-1064.png

 

Hoje muito raramente se veem pegas de cernelha e quase todos os toiros são pegados de caras. Muito menos se vêem cernelheiros que voem por cima dos cabrestos.

Para memória futura, aqui estão duas fotos de uma corrida de Ernesto de Castro em Vila Viçosa no ano de 1963, com uma entrada espectacular de Luís Rui Cabral numa admirável pega de cernelha. O toiro foi rabejado pelo saudoso António Oleiro Maltez.

 

Luís Rui+António Maltez.bmp

 

 

Sobre João Patinhas (11)

Concurso de Ganadarias - 1974.jpg

Palavras de Nuno Cabral – antigo forcado do Grupo de Forcados Amadores de Évora :

“Seguido de um minuto de silêncio em homenagem ao falecido António Maltez, começou a corrida.

O primeiro toiro que coube ao Grupo de Évora foi pegado por João Patinhas, que brindou no meio da arena em memória do grande amigo e forcado António Maltez.

Citando de mais de meia praça, executou com galhardia e arte uma grande e rija pega.

O segundo foi pegado pelo José Manuel Navalhinhas e o terceiro por Lela Brito.

Rabejei três.

O prémio de bravura coube ao ganadero David Ribeiro Telles e o de apresentação ao Engº. Joaquim Grave.”

 

Testemunho relacionado com a corrida Concurso de Ganadarias de 26 de Maio de 1974 - no livro 40 Anos do Grupo de Forcados Amadores de Évora

1ª. Edição: Novembro de 2008

 

------

 

Na Foto: O cabo João Patinhas brindando à memória de António Maltez.

 

Sobre João Patinhas (10)

Concurso de Ganadarias de 1975.jpg

Palavras de António Mexia de Almeida – antigo forcado dos Grupos de Évora e de Santarém:

“O jantar foi no Monte das Flores. Jantámos com o Grupo de Montemor. Esteve tudo animado. Houve discursos dos bons e à antiga. O António José Zuzarte disse que ficava mais um ano a comandar o Grupo. No final falou o João Patinhas, botando um discurso que eu nunca mais esquecerei.”

 

Testemunho relacionado com a corrida Concurso de Ganadarias de 18 de Maio de 1975 - no livro 40 Anos do Grupo de Forcados Amadores de Évora

1ª. Edição: Novembro de 2008

 

------

 

 Na Foto: Os Grupos de Forcados Amadores de Montemor e de Évora comandados por António José Zuzarte e João Nunes Patinhas.

 

Nessa corrida 17º.Concurso de Ganadarias o prémio de bravura foi ganho pelo toiro “Bailarino” da ganadaria de Dom João de Noronha (divisa encarnado e azul).

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Montemor pegaram de caras os forcados João Marujo Caixinha, Baltazar Abelha de Matos e Francisco Chaveiro.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Évora pegaram de caras os forcados João Nunes Patinhas, Francisco Flores e João Saragoça.

 

 

 

Sobre João Patinhas (6)

Grupo Évora-Lorca 1971.jpg

Palavras de Jacinto Alcon – taurino espanhol, empresário, apoderado e enorme aficionado:

“Sabes que hace nuchos años que nos conocemos e hicimos una amistad realmente extraordinaria y todo empezo en el primer contacto que tuvimos en la organizacion de tu grupo de forcados. Sinceramente tu grupo evorense fue el grupo que yo recuerdo actuo mas tarde en plazas españolas de 1ª. 2ª. y 3ª. Fuisteis unos autenticos fenomenos y el publico se entregaba a vosotros por el exito de vuestras extraordinarias pegas que siempre ralizabais.”

 

Parte das suas Memórias no livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

--------

 

Na Foto: “Passeillo” na Praça de Toiros de Lorca (Espanha) do Grupo de Forcados Amadores de Évora em 23 de Setembro de 1971

João Patinhas, António Maltez, Glicério Paulo, António Paula Soares, Joaquim Fernandes, Januário Sequeira, Eduardo Amado, Pedro Mesquitella, Vitorino Lopes, Fernando Coruche e Manuel Dias de Matos

 

 

Sobre João Patinhas (5)

João Patinhas 14.07.1968.jpg

 

Palavras de João Bonneville Franco – Antigo forcado dos Amadores de Évora e dos Amadores de Santarém:

“Conheci o João Patinhas quando ele ainda pegava no Grupo de Santarém, já lá vão mais de 50 anos. Era na altura um dos pilares daquele extraordinário Grupo, valente, seguro e mandão com os toiros. Sabia vê-los, sabia pegá-los (…) Na minha vida de forcado, foi com ele que aprendi tudo o que sei sobre a Pega. Foi em Évora que me fiz forcado, mas foi também em Évora que encontrei além do enorme forcado, o “Homem Verdadeiro e Bom” que se chama João António Nunes Patinhas que é meu Amigo. ”

 

Parte do seu Testemunho no livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

-----

 

Na Foto: A pega de João Patinhas na Praça de Toiros de Évora em 14 de Junho de 1968 com a primeira ajuda de João Bonneville Franco.

 

Sobre João Patinhas (2)

do livro João Patinhas.jpg

Palavras de João Pedro Murteira Rosado – 3º. Cabo do Grupo de Forcados Amadores de Évora:

“Teve uma longevidade impressionante como forcado, passou por momentos complicados, aos quais deu sempre a volta por cima, com a sua tenacidade e entrega, mas passou sobretudo por momentos de triunfos e alegrias. É ainda hoje uma referência dentro do Grupo, amigo presente em todas as horas, crítico e exigente como devem de ser aqueles que só se contentam com o melhor para os seus. A nós a responsabilidade de seguir o seu legado, com a dignidade que merece.”

 

Parte da Nota de Abertura do livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

Faleceu João Patinhas

Évora-26.04.1966.jpg

 

 

 

João António Nunes Patinhas faleceu hoje em Alcanena.

Grande parte da sua vida foi dedicada à tauromaquia portuguesa tendo sido forcado amador dos Grupos de Santarém e de Montemor e cabo do Grupo de Évora desde 11 de Agosto de 1963 a 21 de Maio de 1989.

Quando perguntado, João Patinhas respondia que pegou toiros mas nunca ninguém o ouviu dizer quantos pegou porque, para ele, o importante foi ter dado à Festa portuguesa o seu contributo de pegar e ter ensinado a pegar toiros.

João Patinhas fardou-se de forcado dezenas de vezes e nalguns casos a acompanha-lo só estavam os forcados suficientes para as cortesias. Tal aconteceu em Portugal em 1978 e também no México em 1980/81 e, nem por isso, deixou de pisar as arenas com a mesma determinação e garra de um forcado de eleição.

Para ser cabo de um grupo de forcados é necessário estar presente e aparecer no momento oportuno, não só para mandar e saber mandar mas também para dar o exemplo. Porque tudo o que acontece no grupo terá a ver com as suas atitudes e só os que verdadeiramente comandam é que são cabos dos grupos por longos períodos. Assim foi com João Patinhas.

Depois de se ter retirado como forcado amador João Patinhas demonstrou sempre a sua grande aficion aparecendo com regularidade nas corridas de toiros ou em qualquer evento taurino e foi um dos fundadores da Tertúlia Tauromáquica Eborense a que se dedicou até ao final da sua vida.

Paz à sua alma.

 

                                                                            

j.patinhas.pngJoão Patinhas (1936-2018)

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D