Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

Sobre João Patinhas (6)

Grupo Évora-Lorca 1971.jpg

Palavras de Jacinto Alcon – taurino espanhol, empresário, apoderado e enorme aficionado:

“Sabes que hace nuchos años que nos conocemos e hicimos una amistad realmente extraordinaria y todo empezo en el primer contacto que tuvimos en la organizacion de tu grupo de forcados. Sinceramente tu grupo evorense fue el grupo que yo recuerdo actuo mas tarde en plazas españolas de 1ª. 2ª. y 3ª. Fuisteis unos autenticos fenomenos y el publico se entregaba a vosotros por el exito de vuestras extraordinarias pegas que siempre ralizabais.”

 

Parte das suas Memórias no livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

--------

 

Na Foto: “Passeillo” na Praça de Toiros de Lorca (Espanha) do Grupo de Forcados Amadores de Évora em 23 de Setembro de 1971

João Patinhas, António Maltez, Glicério Paulo, António Paula Soares, Joaquim Fernandes, Januário Sequeira, Eduardo Amado, Pedro Mesquitella, Vitorino Lopes, Fernando Coruche e Manuel Dias de Matos

 

 

Sobre João Patinhas (5)

João Patinhas 14.07.1968.jpg

 

Palavras de João Bonneville Franco – Antigo forcado dos Amadores de Évora e dos Amadores de Santarém:

“Conheci o João Patinhas quando ele ainda pegava no Grupo de Santarém, já lá vão mais de 50 anos. Era na altura um dos pilares daquele extraordinário Grupo, valente, seguro e mandão com os toiros. Sabia vê-los, sabia pegá-los (…) Na minha vida de forcado, foi com ele que aprendi tudo o que sei sobre a Pega. Foi em Évora que me fiz forcado, mas foi também em Évora que encontrei além do enorme forcado, o “Homem Verdadeiro e Bom” que se chama João António Nunes Patinhas que é meu Amigo. ”

 

Parte do seu Testemunho no livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

-----

 

Na Foto: A pega de João Patinhas na Praça de Toiros de Évora em 14 de Junho de 1968 com a primeira ajuda de João Bonneville Franco.

 

Sobre João Patinhas (4)

Cantinflas e Grupo de Montemor.jpg

 

Palavras de António José Zuzarte – Antigo cabo do Grupo de Forcados Amadores de Montemor:

“João Patinhas foi dos forcados que mais toiros pegou na sua longa carreira, demonstrando uma aficion que não o deixará nunca afastar deste “mundillo” que nos prende, como um vício, como algo que nos mantém vivos.

Nascemos e crescemos neste nosso Alentejo de vastos horizontes, e que foi, neste imenso país do Sul, onde a aficion aos toiros está bem enraizada, que vivemos e queremos acabar os nossos dias, como Homens com alma de Forcados.

Pegou muitos toiros pelos cornos, levou muitas cornadas nas praças e na Vida. Mas tendo sempre, de cabeça levantada, sido Toureiro, Alentejano e Homem forte e digno. Um OLÉ para este meu amigo e companheiro.”

 

Parte do Testemunho dos Amadores de Montemor no livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

------

 

Na Foto: O Grupo de Montemor com Cantinflas na Praça do Campo Pequeno em 10 de Setembro de 1961. Reconhecem-se na foto Rui Souto Barreiros, Miguel Capinha Alves, António José Zuzarte, Simão Nunes Comenda, Mário Moreno (Cantinflas), Francisco Pais, Joaquim José Capoulas, João Patinhas e Joaquim Zita Cortes.

Nessa corrida pegaram de caras Joaquim José Capoulas, João Patinhas e Joaquim Zita Cortes

Sobre João Patinhas (3)

J.Patinhas-15.08.1957.jpg

Palavras de Luís Freire Gameiro – Uma eterna referência na arte de pegar toiros:

 

“No Mundo dos Toiros, que é um mundo muito especial e difícil, o João com o seu carácter e a sua força interior conseguiu em 34 anos impor-se a tudo e a todos, sendo por isso presentemente considerado e respeitado tanto como HOMEM como GRANDE FORCADO que foi.”

 

Parte do Testemunho dos Amadores de Santarém no livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

-------

 

 Na Foto:

Praça das Caldas da Rainha

Pega de João Patinhas - Grupo de Forcados Amadores de Santarém -  em 15 de Agosto de 1957

Sobre João Patinhas (2)

do livro João Patinhas.jpg

Palavras de João Pedro Murteira Rosado – 3º. Cabo do Grupo de Forcados Amadores de Évora:

“Teve uma longevidade impressionante como forcado, passou por momentos complicados, aos quais deu sempre a volta por cima, com a sua tenacidade e entrega, mas passou sobretudo por momentos de triunfos e alegrias. É ainda hoje uma referência dentro do Grupo, amigo presente em todas as horas, crítico e exigente como devem de ser aqueles que só se contentam com o melhor para os seus. A nós a responsabilidade de seguir o seu legado, com a dignidade que merece.”

 

Parte da Nota de Abertura do livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

 

Sobre João Patinhas

Bride de Zoio-Reguengos.jpg

 

Palavras de Dom Estevam de Lancastre:

“O João foi o Mestre de uma das melhores escolas de vida onde tive o privilégio de estar, o Grupo de Forcados Amadores de Évora. Foi, como rapaz novo que eu era, importante para a minha vida, cultivar e aperfeiçoar algumas qualidades que nos fazem falta todos os dias, como sejam a camaradagem, o espírito de grupo, a serenidade, a coragem, a lealdade e o sacrifício.

O João Patinhas deu sempre o exemplo: O primeiro, à frente, na cara, em Praça e fora da Praça. Por isso lhe estou grato.”

 

Parte do prefácio do livro João Patinhas – Um Forcado

1ª. Edição: Novembro de 2008

2ª. Edição: Maio de 2009

_____

 

 Na foto: Brinde do cavaleiro José João Zoio a João Patinhas na corrida que se realizou em 15 de Agosto de 1978 na Praça de Toiros de Reguengos de Monsaraz.

Sociedade Campo Pequeno

3.08.1972.Campo Pequeno.jpg

Sociedade Campo Pequeno

 

A tauromaquia portuguesa teve a felicidade de ter tido no Campo Pequeno nos anos 60 e 70 do século passado uma Empresa de elevada competência que proporcionou à aficion cartazes de grande qualidade.

Essa Empresa – Sociedade Campo Pequeno, Ldª. – de Manuel dos Santos foi, até ao momento, a que teve o melhor desempenho na Praça Monumental do Campo Pequeno e a que conseguiu apresentar um conjunto de espectáculos de enorme qualidade e rigor.

Aqui está o cartaz da corrida de 8 toiros da ganadaria de António Cabral de Ascenção, que se realizou em 3 de Agosto de 1972, para as grandes figuras do toureio desse tempo: os cavaleiros Manuel Conde e Luís Miguel da Veiga, os espadas Paquirri e Júlio Robles e para o Grupo de Forcados Amadores de Évora comandado por João Nunes Patinhas.

Na foto quatro Senhores da tauromaquia: o cavaleiro Manuel Conde, os bandarilheiros Guilherme Pereira e Olegário Nunes e o forcado amador João Nunes Patinhas dando a volta à arena.

3.08.1972-Campo Pequeno-Voltaàarena.jpg

 

 

Faleceu João Patinhas

Évora-26.04.1966.jpg

 

 

 

João António Nunes Patinhas faleceu hoje em Alcanena.

Grande parte da sua vida foi dedicada à tauromaquia portuguesa tendo sido forcado amador dos Grupos de Santarém e de Montemor e cabo do Grupo de Évora desde 11 de Agosto de 1963 a 21 de Maio de 1989.

Quando perguntado, João Patinhas respondia que pegou toiros mas nunca ninguém o ouviu dizer quantos pegou porque, para ele, o importante foi ter dado à Festa portuguesa o seu contributo de pegar e ter ensinado a pegar toiros.

João Patinhas fardou-se de forcado dezenas de vezes e nalguns casos a acompanha-lo só estavam os forcados suficientes para as cortesias. Tal aconteceu em Portugal em 1978 e também no México em 1980/81 e, nem por isso, deixou de pisar as arenas com a mesma determinação e garra de um forcado de eleição.

Para ser cabo de um grupo de forcados é necessário estar presente e aparecer no momento oportuno, não só para mandar e saber mandar mas também para dar o exemplo. Porque tudo o que acontece no grupo terá a ver com as suas atitudes e só os que verdadeiramente comandam é que são cabos dos grupos por longos períodos. Assim foi com João Patinhas.

Depois de se ter retirado como forcado amador João Patinhas demonstrou sempre a sua grande aficion aparecendo com regularidade nas corridas de toiros ou em qualquer evento taurino e foi um dos fundadores da Tertúlia Tauromáquica Eborense a que se dedicou até ao final da sua vida.

Paz à sua alma.

 

                                                                            

j.patinhas.pngJoão Patinhas (1936-2018)

 

 

 

 

 

 

 

 

Forcados no México

Cartaz de Néxico.jpg

Longe vão os tempos em que João d’Orey Pinheiro (Arnoso) pegou o primeiro toiro em terras mexicanas, em Guadalajara em 1 de Fevereiro de 1970.

O Grupo era comandado por Simão Malta e constituído por Simão Nunes Comenda, Manuel Augusto Ramalho, João Cortes, Armando Félix e Francisco Chaveiro, do Grupo de Montemor; João d'Orey Pinheiro (Arnoso), do Grupo de Lisboa; António Oleiro Maltez e Francisco Picão Caldeira, do Grupo de Évora. Nesse Grupo fardou-se também de forcado o peão de brega Ludovino Bacatum.

Anos depois outros forcados amadores actuaram na República Mexicana, sendo o Grupo de Évora, comandado por João Nunes Patinhas, o primeiro a pisar a arena da Plaza Monumental de México em Março de 1976.

No México houve continuadores locais e hoje são alguns grupos de forcados amadores desse país que executam a mais autêntica arte da tauromaquia portuguesa: a pega. Fardam-se à portuguesa e mantêm os conceitos do Forcado Amador.

O cartaz aqui exposto de uma corrida que se vai realizar no dia 27 deste mês na “Plaza de Toros de Santa María” e relacionado com os 35 anos do Grupo de Forcados Queretanos, marca a extensão da portugalidade nesse enorme país da América do Norte.

Viva México!

Viva o Grupo de Forcados Queretanos!

 

 

George Martins

TTE-6.02.2017.jpg

 

O mais antigo Grupo de Forcados dos Estados Unidos da América, os Amadores de Turlock. esteve representado em Évora, na reunião da Tertúlia Tauromáquica Eborense, no jantar mensal de se realizou na Pousada dos Loios em 6 de Fevereiro de 2017.

George Martins, que foi o cabo do Grupo de Turlock durante muitos anos, esteve presente neste jantar como convidado de honra e foi apresentado por João Nunes Patinhas, Simão Nunes Comenda, José Jorge Pereira e João Simões que se referiram ao homenageado e à sua enorme influência como aficionado residente na Califórnia e ao muito que este tem contribuído na evolução positiva da Festa Brava naquele Estado americano, nomeadamente na defesa do forcado amador. Também referiram a importante obra de George Martins como empresário agro-pecuário.

Foi um agradável jantar com a conversa baseada na experiência taurina deste antigo cabo de forcados que tão bem tem contribuído para a extensão da portugalidade em terras da América.

 

TTE-6.Fev.2017.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D