Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

As corridas de toiros da CAP

CAP.jpg

Com a Monumental de Santarém alindada por iniciativa da Associação Praça Maior, que à Santa Casa da Misericórdia lega uma Praça limpa, asseada e melhorada, vai realizar-se amanhã – 16 de Junho de 2019 – a Corrida dos Agricultores, que se espera ter uma moldura humana como a Celestino Graça merece.

Estão anunciados toiros da afamada ganadaria Veiga Teixeira para os cavaleiros João Moura Jr., João Ribeiro Telles II e Francisco Palha, com a colaboração dos Grupos de Forcados Amadores de Santarém e de Montemor, comandados por João Grave e António Vacas de Carvalho.

No exterior aguardam-se cerca de 22 animalistas que talvez consigam vociferar as palavras de ordem que estão recomendados pelo respectivo Partido desde as 17,30 horas e até ao final da lide do primeiro toiro. Muito bem ensaiados estarão protegidos pela Polícia para poderem gritar na vã expectativa de convencerem os aficionados a não comprarem bilhetes. Estes militantes anti-taurinos já têm sido vistos noutros locais onde se realizam corridas de toiros, gritando contra a tauromaquia portuguesa.

Longe vão os tempos de 1976, quando Portugal esteve à beira de uma guerra civil e grande parte das empresas agrícolas foram ocupadas e se realizou em Santarém, em 24 de Outubro desse ano, a 1ª. Corrida da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), com toiros de diversas ganadarias para os cavaleiros Fernando Salgueiro, David Ribeiro Telles, José Samuel Lupi, Gustavo Zenkl, José Luís Sommer d’Andrade e João Moura e os Grupos de Forcados Amadores de Santarém e de Évora comandados por José Manuel Souto Barreiros e João Nunes Patinhas.

Pelo Grupo de Santarém pegaram de caras Nuno Megre, Manuel Paim e Joaquim Grave. Pelo Grupo de Évora as pegas foram concretizadas por José Manuel Navalhinhas, Carlos Caixinha e José Mexia de Almeida.

Essa memorável corrida de 24 de Outubro de 1976, com a Praça esgotada, foi considerada como uma das primeiras manifestações políticas contra a chamada Reforma Agrária e a favor do associativismo agrícola de Portugal que tinha como secretário-geral o regente agrícola José Manuel Casqueiro.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D