Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

Santarém e a Praça Maior

Corrida da CAP - Santarém- 16.06.2017.png

Na 3ª. corrida de toiros que se realizou este ano na Monumental de Santarém ficou comprovado que houve bom senso da Santa Casa da Misericórdia ao não ter colocado a concurso a gestão da Praça para esta época e ter aproveitado o generoso contributo da Associação Praça Maior para resolver – melhor do que qualquer empresário – a situação caótica em que se encontrava a Celestino Graça em 2018.

Certamente que os milhares de espectadores que viram a corrida saíram ontem da Praça satisfeitos como esta decorreu e os aficionados agradados com os toiros de Veiga Teixeira, o desempenho dos jovens cavaleiros João Moura Jr, João Ribeiro Telles II e Francisco Palha e o valioso e desinteressado desempenho dos Forcados Amadores de Santarém e de Montemor.

Depois das corridas de toiros há sempre um ou outro aspecto que nos fica na memória e que anos depois faremos referência, de um ou outro pormenor, de um ou outro motivo taurino.

Desta Corrida de Toiros da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) fiquei com duas recordações principais que provavelmente não esquecerei. Uma, negativa, quando parte de um sector se manifestou contra o brinde de uma das pegas ao Ministro da Agricultura Luís Capoulas Santos.

Realmente, quando a maioria dos políticos e governantes do país desprezam a tauromaquia e não entendem que esta faz parte da cultura portuguesa, ter estado na Praça de Santarém um Ministro a assistir à Corrida da CAP seria um motivo de satisfação dos aficionados, que deveriam apoiar e aplaudir que lhe fosse brindada a lide ou a pega de um toiro. Teve essa elevada atitude o Grupo de Forcados Amadores de Santarém, através de Francisco Graciosa. Brinde que foi vaiado por um sector do público num protesto desnecessário.

A recordação positiva relaciona-se com as duas extraordinárias tentativas do forcado Francisco Borges no último e poderoso toiro da corrida, difícil de ajudar, numa magnífica pega de caras e onde foi determinante o desempenho atempado do rabejador Francisco Godinho. Que bem que está este rabejador!

Manuel Peralta Godinho e Cunha

 

Grupo de Montemor-Pega Francisco Borges-16.06.2019

 

  Pega de Francisco Borges - Grupo de Montemor

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D