Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

A notícia da Corrida em Coruche

J.Moura Jr. 6.07.2019.jpg

Raramente os jornais portugueses inserem notícias relacionadas com a tauromaquia seguindo as recomendações dos animalistas, anti-taurinos, que sendo em minoria – como se pode verificar no número de votos no PAN – não deixam de intimidar as redacções dos órgãos de informação.

Assim, hoje verificámos a notícia do “Jornal i “ que só aparece com uma informação taurina porque houve colhidas na Praça de Toiros de Coruche na corrida de toiros que se realizou na noite de 6 de Julho de 2019, não obstante fazer referência também a uma análise comparativa do número de espectadores de 2011 a 2018 e a tendência comprovada de maior afluência nas bilheteiras das Praças.

Rita Pereira de Carvalho, a articulista, anotou e bem a comunicação da “PróToiro” onde se constata que neste ano de 2019 e até ao momento já se realizaram 89 espectáculos tauromáquicos e com 25% de aumento dos espectadores. Informação que não interessa de todo aos animalistas mas que é muito agradável ao governo da República que assim lá vai recebendo os impostos de um espectáculo que se realiza á porta fechada, sem subsídios do Estado, que paga muitas taxas e que é uma atracção turística.

Neste seu artigo, Rita Pereira de Carvalho fazendo referência à corrida em Coruche escreveu:

(…) Os cavaleiros Ana Batista e João Moura, da ganadaria de São Torcado, com ferimentos.”

Desconheço onde nasceram Ana Batista e João Moura Jr. mas em São Torcato não foi certamente.

“Quem te manda a ti sapateiro tocar rabecão?” – como diz e bem a antiga expressão proverbial portuguesa.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

Tentativas

Quando na pega de caras o forcado faz as tentativas necessárias para pegar o toiro há uma demonstração da alma portuguesa, da garra, da determinação das gentes lusitanas que não viram a cara às dificuldades.

Quem se coloca sereno em frente de um toiro para o pegar de caras recebendo simplesmente um sorriso de mulher, demonstra a grandiosidade do coração de um povo.

Povo de Portugal que assiste ao cite na pega de caras em silêncio – o silêncio de respeito. O respeito ao forcado. O respeito à manifestação mais portuguesa de toda a tauromaquia: a pega.

 

 

J.M.Passanha-4 tentativa-29.10.2017.png

José Maria Passanha, do Grupo de Forcados Amadores de Évora, na 4ª. tentativa da pega de caras ao toiro da ganadaria de São Torcato lidado em quarto lugar na Arena d’Évora em 29 de Outubro de 2017

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D