Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

A arte de pegar toiros

Quando o forcado pelo seu saber e valentia – e também por intuição – consegue vencer o medo, o perigo e as dificuldades que o toiro apresenta e alcança emoção e domínio, pode dizer-se que atinge a perfeição. Mas essa perfeição só é atingida quando demonstra naturalidade durante o cite e facilidade em dobrar-se, a receber e a fechar-se no toiro.

Cada forcado é dotado de determinados recursos e uns, melhor do que outros, conseguem demonstrar em Praça as suas faculdades. Uns mais valentes, outros mais técnicos e outros mais artistas. Alguns forcados conseguem reunir essas três qualidades e quando executam a pega, criando beleza ante o perigo, serenos e dominadores, marcando os tempos do verdadeiro toureio durante o cite da pega de caras, conseguem transmitir ao público uma impressão de facilidade que se transforma em arte: a arte de pegar toiros.

Pega de Diniz Caeiro - 29.06.2018.JPG

Pega de caras - Grupo de Forcados Amadores de Évora

Dinis Caeiro - 29 de Junho de 2018

(foto de João Silva)

 

A pega do Monumento ao Forcado

Pega de Estevam Lancastre-1964.jpg

Em 12 de Abril de 1964 realizou-se uma corrida na Praça Monumental do Campo Pequeno de homenagem aos Príncipes do Mónaco e num dos camarotes esteve a Princesa Grace Patrícia Grimaldi (Grace Kelly) e os seus filhos.

Lidaram-se 8 toiros, sendo 4 da ganadaria de Norberto Pedroso para os cavaleiros Pedro Louceiro e José Maldonado Cortes e para os Forcados Amadores de Évora comandados por João Nunes Patinhas, mais 4 toiros da ganadaria de Manuel César Rodrigues para os espadas José Falcão e Óscar Rosmano.

Praça completamente cheia e grande triunfo dos Amadores de Évora com quatro excelentes pegas de caras e o Grupo chamado à Praça.

Na lide a pé um enorme êxito de José Falcão.

Captadas pelo fotógrafo taurino Lucílio Figueiredo há algumas fotos dessa corrida e uma delas da pega que foi executada por Dom Estevam de Lancastre com excelente primeira ajuda de João Bonneville Franco.

Essa foto foi a escolhida e aproveitada muito mais tarde pelo escultor Domingos Soares Branco que a utilizou como base de trabalho quando efectuou o conjunto escultórico do Monumento ao Forcado que está colocado em Santarém, desde 10 de Junho de 1997, na Rotunda António Gomes de Abreu.

Atelier de Domingos Soares Branco.jpg

No seu atelier o escultor Domingos Soares Branco com Dom Estevam de Lancastre e João Bonneville Franco.

Nota-se a foto que serviu de mostra para a escultura.

 

Grupo de Évora

 

Tertúlia T.E. 7.01.2019.png

 

Realizou-se em 7 de Janeiro de 2019, e como habitualmente na Pousada dos Loios, o jantar mensal da Tertúlia Tauromáquica Eborense e desta vez de homenagem ao Grupo de Forcados Amadores de Évora que em 2018 completou 55 anos ininterruptos na nobre arte de pegar toiros.

Assim e como convidado de honra esteve presente o actual cabo João Pedro Nunes Oliveira e que se fez acompanhar pelos antigos cabos João Pedro Soares Oliveira e António Vaz Freire Alfacinha que deram os seus testemunhos recordando diversos momentos do interessante Historial de um Grupo que pela primeira vez se apresentou ao público em 11 de Agosto de 1963 e sob o comando de João Nunes Patinhas e que ao longo destes 55 anos honrou a Tauromaquia Portuguesa, o Forcado Amador e divulgou a cidade de Évora em todas as Praça de Toiros portuguesas e em muitas outras no estrangeiro.

Foi mais um agradável jantar de uma Tertúlia de amigos aficionados e que desejam continuar a defender a tauromaquia.

Tertúlia Tauromáquica Eborense.jpg

 

 

Grupo de Évora - 55 anos apegar toiros

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

 

Grupo de Forcados Amadores de Évora

 

1963 – 2018

 

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

 

Corrida da estreia do Grupo na Praça de Toiros do Redondo em 11.08.1963

6 toiros de Manuel Lampreia 6

Estreia do Grupo-Redondo 1963.jpg

                                                     1º toiro                    João Nunes Patinhas

                                                     2º. toiro                   Estevam de Lancastre

                                                     3º. toiro                   Evaristo Cutileiro

                                                     4º. toiro                   Rui Cabral/João de Saldanha (cernelha)

                                                     5º. toiro                   Francisco José Abreu

                                                     6º. toiro                   Manuel Ramos de Figueiredo              

 

 

Uma corrida de Toiros a favor do Hospital Infantil de S. João de Deus

 

 

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

 

 

Grupo de Forcados Amadores de Évora

 1963 – 2018

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

Corrida em Montemor-o-Novo a favor do Hospital Infantil de S. João de Deus

5 de Julho de 1964

Primeira corrida que o Grupo pegou 7 toiros

 

1º toiro                                Ganadaria Prudêncio da Silva Santos

                                               Manuel Peralta                                                              

                                               Primeiro ajuda: José Eduardo Colaço

 

2º. toiro                               Ganadaria de Fialho & Irmão                                    

                                               João Nunes Patinhas                                                  

                                               Primeiro ajuda: José Eduardo Colaço

 

3º. toiro                               Ganadaria de Joaquim Murteira Grave

                                               Joaquim Manuel Goucha                                                              

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

 

4º. toiro                               Ganadaria de António Lopes Aleixo

                                               Dom Estevam de Lancastre                                      

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

 

5º. toiro                               Ganadaria de Irmãos Alves

                                               João Cortes / João Saldanha (cernelha)                              

 

6º. toiro                               Ganadaria de Fialho & Irmão

                                               José Oleiro Maltez                                                        

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

 

7º. Toiro                              Ganadaria de Fialho & Irmão                    

                                               Evaristo Cutileiro                                                           

                                               Primeiro ajuda: João Bonnevile Franco

-----

Para pegar os 7 toiros fardaram-se os seguintes elementos do Grupo:

João Nunes Patinhas (cabo), Manuel Ramos Figueiredo, Joaquim Manuel Goucha, Dom João Mário de Saldanha, João Bonneville Franco, Dom Estevam de Lancastre, Manuel Peralta, Francisco José Abreu, Evaristo Cutileiro, José Eduardo Colaço, José do Rosário Maltez, António Oleiro Maltez, Isidro Tanganho e José Manuel Faria.

 

Corrida de Homenagem a João Núncio

 

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

 

Grupo de Forcados Amadores de Évora

 

1963 – 2018

 

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

 

Corrida de Homenagem aos 50 anos de toureio de João Branco Núncio

20 deSetembro de 1964 - Praça de Toiros de Évora

7 toiros de Dom Diogo Passanha 7

 

1º toiro                                João Nunes Patinhas

                                               Primeiro ajuda: João Bonnevile Franco

2º. toiro                               Evaristo Cutileiro

                                               Primeiro ajuda: João Bonnevile Franco

3º. toiro                               Joaquim Serrão Fialho

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

4º. toiro                               António Oleiro Maltez

                                               Primeiro ajuda: Francisco José Abreu

5º. toiro                               Dom Estevam de Lancastre

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

6º. toiro                               Francisco José Abreu

                                               Primeiro ajuda: João Bonneville Franco

7º. toiro                               João Bonneville Franco

                                               Primeiro ajuda: Francisco José Abreu

TTA..png

 

A pega de cernelha

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

 

Grupo de Forcados Amadores de Évora

1963 – 2018

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

 

Armando Raimundo e Carlos Conceição.png

 

Há umas dezenas de anos quando se lidavam em Portugal 8 toiros, quase sempre em corridas mistas, o grupo de forcados pegava 4 toiros e muitas vezes o cabo reservava um para a pega de cernelha. Nem sempre esse toiro era o que apresentava menos condições para a pega de caras, mas porque a cernelha era muito apreciada e solicitada pelo público.

Também os campinos mais habituados a colaborar com os forcados nesta pega e os cabrestos treinados para o efeito.

Depois apareceu, cada vez com mais frequência, a corrida com 6 toiros para a lide a cavalo e dois grupos de forcados, com três toiros para cada grupo. Então a cernelha passou a ser cada vez menos utilizada e hoje há grupos que passam uma época sem a ter praticado, a não ser que algum toiro se mostre incapaz de investir para a pega de caras ou apresente algum problema na configuração da córnea.

Também é verdade que as empresas nem sempre são rigorosas na selecção dos toiros para as suas corridas, não tendo em consideração que os toiros terão que ser pegados.

Aqui está uma foto que documenta esse facto, toiro com corno mais baixo do que o outro (bizco) que foi lidado em Montoito em 7 de Outubro de 1992 e pegado de cernelha por Armando Mendonça Raimundo e Carlos Conceição.

Bela foto do eborense António Cecílio.

Cernelha

Emblema do Grupo de Forcados Amadores de Évora.jp

Grupo de Forcados Amadores de Évora

1963 – 2018

55 anos

A promover a Arte de Pegar Toiros e a cidade de Évora

 

Luis Rui e A. Maltez-1064.png

 

Hoje muito raramente se veem pegas de cernelha e quase todos os toiros são pegados de caras. Muito menos se vêem cernelheiros que voem por cima dos cabrestos.

Para memória futura, aqui estão duas fotos de uma corrida de Ernesto de Castro em Vila Viçosa no ano de 1963, com uma entrada espectacular de Luís Rui Cabral numa admirável pega de cernelha. O toiro foi rabejado pelo saudoso António Oleiro Maltez.

 

Luís Rui+António Maltez.bmp

 

 

Sobre João Patinhas (11)

Concurso de Ganadarias - 1974.jpg

Palavras de Nuno Cabral – antigo forcado do Grupo de Forcados Amadores de Évora :

“Seguido de um minuto de silêncio em homenagem ao falecido António Maltez, começou a corrida.

O primeiro toiro que coube ao Grupo de Évora foi pegado por João Patinhas, que brindou no meio da arena em memória do grande amigo e forcado António Maltez.

Citando de mais de meia praça, executou com galhardia e arte uma grande e rija pega.

O segundo foi pegado pelo José Manuel Navalhinhas e o terceiro por Lela Brito.

Rabejei três.

O prémio de bravura coube ao ganadero David Ribeiro Telles e o de apresentação ao Engº. Joaquim Grave.”

 

Testemunho relacionado com a corrida Concurso de Ganadarias de 26 de Maio de 1974 - no livro 40 Anos do Grupo de Forcados Amadores de Évora

1ª. Edição: Novembro de 2008

 

------

 

Na Foto: O cabo João Patinhas brindando à memória de António Maltez.

 

Sobre João Patinhas (10)

Concurso de Ganadarias de 1975.jpg

Palavras de António Mexia de Almeida – antigo forcado dos Grupos de Évora e de Santarém:

“O jantar foi no Monte das Flores. Jantámos com o Grupo de Montemor. Esteve tudo animado. Houve discursos dos bons e à antiga. O António José Zuzarte disse que ficava mais um ano a comandar o Grupo. No final falou o João Patinhas, botando um discurso que eu nunca mais esquecerei.”

 

Testemunho relacionado com a corrida Concurso de Ganadarias de 18 de Maio de 1975 - no livro 40 Anos do Grupo de Forcados Amadores de Évora

1ª. Edição: Novembro de 2008

 

------

 

 Na Foto: Os Grupos de Forcados Amadores de Montemor e de Évora comandados por António José Zuzarte e João Nunes Patinhas.

 

Nessa corrida 17º.Concurso de Ganadarias o prémio de bravura foi ganho pelo toiro “Bailarino” da ganadaria de Dom João de Noronha (divisa encarnado e azul).

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Montemor pegaram de caras os forcados João Marujo Caixinha, Baltazar Abelha de Matos e Francisco Chaveiro.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Évora pegaram de caras os forcados João Nunes Patinhas, Francisco Flores e João Saragoça.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D