Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

Na Pousada dos Loios em 3 de Setembro de 2018

.TTE em 3.09.2018.JPG

Francisco Palha tem estado nesta temporada com a tal força, determinação e valor que leva os aficionados às praças de toiros para o verem tourear à portuguesa e com emoção. A tal agitação no toureio a cavalo reapareceu com este jovem cavaleiro tal como em tempos sucedeu com José Mestre Batista, Luís Miguel da Veiga, José João Zoio, Manuel Jorge de Oliveira, João Moura, António Ribeiro Telles, toureiros que sacudiram a aficion em determinadas épocas e que se destacaram na mui nobre arte de tourear a cavalo.

Francisco Palha está em bom momento com montadas à altura para se apresentar em qualquer praça e com um carisma que é fruto de muito trabalho e dedicação na preparação dos cavalos e da experiencia de 10 anos em Espanha e depois em Portugal.

Francisco Palha parece romper com a aquela imagem dos cavaleiros a lidarem toiros boiantes. Para ele podem sair toiros sérios e quem quiser tourear assim terá que se preparar para isso ou então só serve para compor cartel.

Estas e outras observações foram abordadas no jantar de Setembro de 2018 da Tertúlia Tauromáquica Eborense que se realizou na Pousada dos Loios em Évora onde o Convidado e Honra foi Francisco Palha e que foi acompanhado pelo empresário e apoderado Rafael Vilhais.

Uma bela noite taurina, como são sempre os jantares mensais da Tertúlia Tauromáquica Eborense agora sob a orientação do cuidador Nico Mexia de Almeida.

Na foto: Nico Palha, Francisco Palha, Nico Mexia de Almeida e Rafael Vilhais

 

 

Jantar de Abril da T.T.Eborense

TTE-9.04.2018.jpg

O jantar mensal da Tertúlia Tauromáquica Eborense que se realizou em 9 de Abril de 2018 – o primeiro tendo Nico Mexia de Almeida como novo cuidador – foi e como habitualmente na Pousada dos Lóios em Évora e teve não um mas dois convidados de honra: o Dr. Manuel Cancela d’Abreu e o Dr. Joaquim Grave.

Muito interessante a palestra sobre os efeitos da alimentação na raça brava, relacionada com a resistência e o esforço do toiro durante a lide. Uma detalhada apresentação pelo Dr. Cancela d’Abreu sobre um assunto tão interessante e que há muito tempo preocupa veterinários, ganaderos, empresários e aficionados, que é a falta de força dos toiros durante as lides e a relação que existe entre a sua alimentação com efeitos no metabolismo do animal e a queda nas arenas. Uma investigação que têm sido feita nesse sentido e que apresenta alguns resultados conclusivos.

A ideia de que a queda dos touros tem a ver com o encaste; a idade; o transporte e o repouso antes da lide; o excessivo peso dos animais; a falta de exercício dos toiros no campo; as lesões musculares; o castigo exagerado durante a sorte de varas, etc., são aspectos mais ou menos discutidos há muito tempo. Porém este assunto relacionado com a alimentação adequada da raça brava, os diversos tipos de concentrados e os cálculos da oportunidade do arraçoamento num equilíbrio nutricional dos animais é um aspecto relativamente recente agora estudado em relação à queda dos toiros durante as lides e que terá certamente muita importância na observação de um dos principais problemas da Festa em que o toiro bravo é a base do espectáculo.

Depois falou o Dr. Joaquim Grave, que já por diversas vezes transmitiu os seus importantes conhecimentos de ganadero e de aficionado nesta Tertúlia e sempre escutado com grande interesse. Porém, desta vez, falou numa sua nova vertente: como organizador e empresário da já tradicional Feira Taurina da Senhora das Candeias. E, para já, com uma importante novidade: ainda não perdeu dinheiro com os espectáculos realizados!

Depois relatou a sua iniciativa relacionada com o início da temporada taurina em Mourão, como tudo começou, como tem sido e como tenciona continuar com uma Feira realizada com muita dedicação e aficion, onde o toureio a pé está sempre presente.

Olé Joaquim Grave!

Belo e interessante jantar. Mais um excelente convívio de aficionados em Évora.

O nosso agradecimento aos dois convidados que contribuíram para um maior enriquecimento taurino de todos os que têm a possibilidade de pertencer a esta Tertúlia Tauromáquica Eborense.

 

 

Observação: José do Rosário Viegas-Maltez foi proposto e aceite por unanimidade como novo membro desta Tertúlia.

 

 

 

TTE em 9.Abr.2018.jpg

Manuel Calejo Pires, Joaquim Grave, Manuel Cancela d'Abreu e Nico Mexia de Almeida

 

Novo cuidador da Tertúlia Tauromáquica Eborense

TTE.3.jpg

 

Ontem, 5 de Março de 2018, realizou-se na Pousada Convento de Évora – mais conhecida por Pousada dos Loios – o segundo jantar deste ano, dado que não se efectuou em Fevereiro o habitual jantar mensal por motivo de luto. Luto por alguém que a Tertúlia Tauromáquica Eborense recorda com grande saudade: João António Nunes Patinhas.

Assim, o jantar iniciou-se com um minuto de silêncio por três taurinos falecidos recentemente: João Patinhas, António Manuel Cardoso “Nené” e Manuel Pereira Cipriano “Badajoz”. Minuto de silêncio também em memória de Joaquim Augusto Serrão Fialho falecido há precisamente um ano.

Foi portanto um jantar onde pairou um ambiente de saudade sem convidado especial e onde se recordou que esta é uma Tertúlia com um cunho muito peculiar, sui generis, começando por ninguém saber ao certo a data da fundação, mas que pode ter sido em 1998 ou 1999; por ter funcionando sempre e sem interrupções com um jantar mensal na primeira segunda-feira de cada mês; por não estar registada nem ter corpos sociais; não ter presidente e funcionar assim, bem. Muito bem.

Bem também na escolha dos tertúlianos que são, evidentemente, aficionados tauromáquicos mas cuja admissão é feita por convite e onde há a concordância dos restantes.

Porém, em qualquer circunstância onde haja muitas pessoas haverá sempre a necessidade de alguém que se destaque para orientar, para mandar ou coordenar as ideias, as intenções. Há sempre uma necessidade imperiosa que assim seja, porque a tendência natural de qualquer clube, empresa ou grupo é a desorganização se houver falta de liderança.

No caso da Tertúlia Tauromáquica Eborense essa liderança foi natural, informal, sem eleições ou mandatos durante todos os anos da sua existência e protagonizada por João Patinhas.

A partir de ontem passou a ser de António Mexia de Almeida a quem ficou entregue o futuro próximo da Tertúlia, sem prazo, sem mandato, sem estatutos e sem juramentos. Só com a confiança de todos.

O Nico Mexia passou a ser o novo cuidador da Tertúlia, terá dois colaboradores mais próximo e a confiança de uma Tertúlia de aficionados que só deseja o bem da Festa.

Assim seja!

 

TTE.1.jpg

 

Tertúlia

Pousada dos Loios.jpg

 

TERTÚLIA

Com bom número de participantes realizou-se ontem na Pousada dos Loios em Évora o jantar mensal da Tertúlia Tauromáquica Eborense.

Como habitualmente foi um bom convívio entre amigos – todos aficionados à tauromaquia – e que aproveitaram este primeiro jantar /reunião do ano de 2017 para fazer uma reflexão do que foi a época de 2016.

Falou-se também na eventualidade dos elementos da Tertúlia fazerem uma viagem à Ilha Terceira no próximo mês de Junho para assistirem a algumas corridas de toiros durante as Sanjoaninas/2017 em Angra do Heroísmo e se fazer uma maior aproximação à Tertúlia Tauromáquica Terceirense.

Jantar da TTE em 2.01.2017.jpg

 

 

Jantar da Tertúlia Tauromáquica Eborense – Julho de 2016

Tert.Tauromáquica Eborense-04.07.2016.jpg

Emídio Pinto – filho do prestigiado jogador internacional de hóquei em patins com o mesmo nome, da célebre seleção nacional dos anos 40, composta também por António Raio, Edgar Soares, Jesus Correia e Correia dos Santos – iniciou a carreira de cavaleiro tauromáquico aos 13 anos na temporada de 1966 e em 1975 recebeu a alternativa concedida por Alfredo Conde na Praça Monumental do Campo Pequeno.

Foi o iniciador de uma dinastia de toureiros e presentemente o seu filho Duarte e o seu sobrinho Tomás são os continuadores na família da Arte de Marialva.

Foi Emídio Pinto que esteve no jantar de Julho de 2016 da Tertúlia Tauromáquica Eborense como convidado de honra e deliciou os participantes com uma descrição pormenorizada de toda a sua actividade taurina e dos cavalos mais importantes na sua quadra, dos outros cavaleiros que com ele alternaram nessas temporadas – com destaque para José Mestre Batista – e o realce para os cartazes de corridas que lhe ficaram de memória.

Não fui um grande cavaleiro, mas gostei de ter sido cavaleiro tauromáquico” disse com a simplicidade que o caracteriza.

Diremos que além de cavaleiro é um excelente aficionado, defensor da nossa Festa e que a Tertúlia Tauromáquica Eborense teve o prazer de receber neste jantar de Julho que se realizou, como habitualmente, na Pousada dos Loios em Évora.

Tert.Tauromáq.Eborense.jpg

 

 

Um mestre de equitação

Manuel Jorge de Oliveira.png

No jantar que se realizou na noite de 4 de Abril de 2016 na Pousada dos Loios em Évora, foi convidado de honra da Tertúlia Tauromáquica Eborense o cavaleiro ribatejano Manuel Jorge de Oliveira que recordou diversos aspectos da sua vida, de toda a influência tauromáquica que recebeu do seu Pai Joaquim Oliveira; desde as primeiras lições de equitação com o mestre José Vicente, equitador da Estação Zootécnica Nacional “Fonte Boa”; a sua primeira aparição em público – com apenas 10 anos – num espectáculo realizado pelos Bombeiros Voluntários da Azambuja; a sua prova de cavaleiro praticante na Praça de Toiros de Alcochete em 1976, depois de ter sido considerado o cavaleiro amador que mais se destacou nos anos anteriores; a sua alternativa em 1977 concedida por José João Zoio na Praça Monumental do Campo Pequeno. Depois seguiram-se actuações memoráveis em Portugal, Espanha e França, sempre alternando com os melhores cavaleiros portugueses e rejoneadores espanhóis. Sempre nas principais Praças. Sempre nos principais cartéis. Com os seus famosos cavalos pretos com ferro de Ortigão Costa, com destaque para o Bafejado, o Jaguar  e o Jubileu.

Mais tarde aluno do mestre Nuno de Oliveira de 1985 a 1989, com ele a sua equitação melhorou e o conceito de não castigar “com sangue” os cavalos passou a ser um dos seus lemas.

Mas para além destas recordações que tiveram o testemunho de alguns elementos da Tertúlia, houve também troca de pontos de vista tauromáquicos, de toureio a cavalo e de toureio a pé, de grande interesse que se prolongaram durante esta agradável noite de convívio entre aficionados ao toiro e ao cavalo.

Manuel Jorge de Oliveira que se foi retirando do toureio a cavalo a partir de 1983, tendo feito a sua despedida na Praça de Toiros do Cartaxo em 2013 e passou a dedicar-se a professor de equitação na sua quinta no Cartaxo, mas também na Alemanha, França e Suécia onde desenvolve intensa actividade. Na Alemanha já foi divulgado um livro sobre a sua arte de montar a cavalo, sendo a única publicação editada naquele país sobre um cavaleiro português que se tem destacado como mestre de equitação clássica.

 

Jantar da Tertúlia Tauromáquica Eborense - Março de 2016

Jantar TTE-Março2016.jpg

 

 

Como é habitual a Tertúlia Tauromáquica realizou o seu jantar mensal na Pousada dos Loios.

Em 7 de Março de 2016 foi convidado de honra o Dr. Manuel Jorge Díez dos Santos que se fez acompanhar pela sua mulher Maud.

O convidado aproveitou para fazer a divulgação do seu livro “Manuel dos Santos – O Homem e o Toureiro” e explicou a sua vontade de deixar reunido neste livro uma série de crónicas e fotos e diversos documentos relacionados com a vida de seu pai, não só como grande toureiro que foi, mas também a sua faceta de empresário e abordando também outras recordações de âmbito familiar.

Foram várias as perguntas e também as memórias de quem acompanhou em alguns momentos da vida de Manuel dos Santos, com destaque para João Patinhas e Simão Comenda que se referiram principalmente às iniciativas realizadas pelo antigo matador e empresário no que diz respeito à divulgação da tourada à portuguesa em alguns países.

Jantar muito agradável com todos os presentes agradados e muito interessados nas descrições da vida de uma figura importantíssima para a tauromaquia como foi Manuel dos Santos.

                                                       

Tert. T. Eborense.png

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D