Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

Intolerância

Bandeiras da Catalunha.png

 

O caso da independência da Catalunha, não sendo um problema a que a Portugal diga respeito é, muito naturalmente, um assunto da Europa e o que lá se passa terá reflexos em todo o território peninsular.

Os Partidos apoiantes da independência, que não se sabe se têm a maioria dos eleitores da Catalunha, são em muitos casos pouco tolerantes e têm querido apagar todos os símbolos que possam ligar a Catalunha a Madrid.

Recordamos, por exemplo, o que resolveram os parlamentares da Catalunha, em Julho de 2010, quando proibiram os aficionados daquela região de poderem assistir ao seu espectáculo preferido e ao encerramento das Praças para as corridas de toiros, com especial incidência na emblemática Praça Monumental de Barcelona que foi inaugurada em 1916.

Nessa votação anti-taurina onde teve grande influência a “Esquerra Republicana de Catalunya” votaram a favor da proibição das corridas de toiros 68 deputados, 55 contra e houve 9 abstenções. Portanto foram 4 deputados a votarem a mais do que os que não queriam ou não sabiam se queriam a abolição da tauromaquia. Quatro! O suficiente para se tentar apagar um histórico taurino nas terras da Catalunha. Quatro votos a favor de se esconder um passado de 118 alternativas de matador de toiros na arena de Barcelona no período de 1864 a 2009, desde Pedro Aixelà “Peroy” até Enrique Guillén…Porém os registos de festejos taurinos em Barcelona remontam ao ano de 1387.

Democraticamente é suficiente um voto a mais em muitas votações, porém uma escassa maioria não deveria ter a possibilidade de proibir a cultura e tradição catalã ligada ao toiro e ao toureio.

Muitos catalães não concordaram com a decisão e para assistirem às corridas de toiros tiveram que passar a se deslocar a outras regiões de Espanha ou ao sul de França.

Em termos económicos a Catalunha beneficiou com a abolição das corridas de toiros ou foi só mais uma demonstração de alguns contra uma Espanha unida?

Monumental de Barcelona.jpg

 

A tal proibição

Serafín Marín.jpg

Serafín Marín matador de toiros catalão, impedido de tourear na sua terra, depois do Parlamento da Catalunha proibir as corridas de toiros na votação de 28 de Julho de 2010, com grande satisfação da “Esquerra Republicana de Catalunya”.

Foto do toureiro na Monumental de Barcelona, onde o matador fez parte do cartel da última corrida autorizada em 25 de Setembro de 2011.

Um dia Barcelona e a sua Monumental abrirão novamente as suas portas a uma aficion que não deseja a sua cultura amputada.

barcelona_monumental1.jpg

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D