Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partebilhas

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

O conteúdo deste blogue é da responsabilidade de MANUEL PERALTA GODINHO E CUNHA e pode ser reproduzido noutros sítios que não pertençam ao autor porque o importante é a divulgação da tauromaquia.

Na México o Senhor Enrique Ponce

Praça México - Temporada Grande -5.'2.2019.png

Graças ao Canal Toros, os deste lado do “charco” tiveram a grata possibilidade de ver a “Temporada Grande 2018-19” e desta última corrida de aniversário da “Plaza México” com a presença de cerca de 40.000 espectadores, ficou na nossa memória a mestria de Pablo Hermoso – o mais clássico executor do rejoneio espanhol – e as duas maravilhosas faenas do Senhor Enrique Ponce, a primeira premiada com duas orelhas. Depois, no seu segundo, quinto da ordem, deu uma lição de toureio em frente ao de Los Encinos, que tinha o nº. 49 e o peso de 502 Kg. – com o curioso nome de García Lorca – um manso encastado, que fugiu ao picador e que o matador ensinou a investir. Uma maravilha de faena completa, não obstante a má sorte com a espada. Toiro que não deveria ter sido premiado com arraste lento. Bem foi a justificada volta à arena do matador.

Aos animalistas anti-taurinos deve ser recomendado e facilitado verem o Senhor Enrique Ponce a tourear logo que seja possível, para assim terem a possibilidade de se redimirem, entendendo e respeitando a bela arte do toureio.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

Enrique Ponce-Praça México - 5.02.2019.png

 

 

Cartaz imperfeito da Praça México

Temporada México.png

Anunciar uma corrida de toiros não é o mesmo que o fazer com outro espectáculo qualquer.

A tauromaquia tem regras que têm sido respeitadas na generalidade e conceitos de ética perfeitamente definidos como, por exemplo, a antiguidade.

O matador mais antigo lidará o primeiro toiro para o toureio a pé e o mais moderno o último. É assim e deverá continuar a ser assim. Mesmo quando há a cerimónia da concessão da alternativa, o primeiro toiro é para o matador mais velho, só que este cede-o ao novilheiro que vai receber a alternativa

Neste cartaz da Temporada Grande da Monumental Praça México, numa das corridas Roca Rey aparece anunciado à frente de Joselito Adame e de “Calita”, sendo estes mais antigos de alternativa.

Também na corrida de 5 de Fevereiro, Luís David está anunciado primeiro que Sérgio Flores.

Durante as corridas foi respeitada a ordem, o que para o espectador menos atento pode causar alguma dúvida.

Passaram 73 anos depois da inauguração da Praça, mais do que os suficientes para a Empresa respeitar as tradições tauromáquicas.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

Praça México.png

 

Desobediência premiada

Praça México.png

15 de Abril de 1951 – Praça México

No cartaz:

O rejoneador Juan Cañedo e os matadores Luis Procuna, Paco Muñoz e Rafael Rodríguez.

 

Procuna esteve excelente na lide do seu primeiro, um toiro de Ernesto Cuevas com o nome de “Muñeco”. Toiro que cumpriu nos três tércios e de tal forma que o público da Monumental – e pela primeira vez no historial da Praça – começou a acenar os lenços pedindo o indulto.

O indulto, o maior prémio que só está ao alcance de um toiro muito bravo e se tiver um bom lidador que lhe realce os caracteres inerentes: a prontidão na investida, o humilhar, o repetir, a nobreza, o recorrido, a “fijeza”, a transmissão…Tudo isso apresentou “Muñeco” para satisfação do ganadero, do matador, dos aficionados e do público em geral. Público que pela primeira vez pedia a vida de um toiro “na México” e como este foi sempre “a mais” a petição cresceu, cresceu, até que o Presidente mostrou o lenço cor de laranja.

Mas sucedeu o insólito: Luís Procuna desautorizando tudo e todos, aponta uma extraordinária estocada, sendo premiado com duas orelhas do toiro que não deveria ter morrido.

Pergunta-se: a desobediência pode ser premiada?

Ferro e divisa de Ernesto Cuevas.jpg

 

 

 

 

A liberdade do Fantasma

Diego Ventura, 11.11.2018.png

 

Quando um toiro é bravo e o público pede o indulto confirmado pelo Presidente da Corrida, esse toiro ganha a liberdade e regressa ao campo e a ganadaria ganha mais um semental.

Assim foi ontem, dia de São Martinho, na Praça México depois de uma valorosa exibição do rejoneador Diego Ventura.

O “Fantasma”, da ganadaria de Enrique Fraga, ganhou o indulto.

O prémio que só um verdadeiro toiro de lide pode ganhar.

Viva a Festa Brava!

Toiro Fantasma-Indultado por Diego Ventura-México

 

 

 

Forcados no México

Cartaz de Néxico.jpg

Longe vão os tempos em que João d’Orey Pinheiro (Arnoso) pegou o primeiro toiro em terras mexicanas, em Guadalajara em 1 de Fevereiro de 1970.

O Grupo era comandado por Simão Malta e constituído por Simão Nunes Comenda, Manuel Augusto Ramalho, João Cortes, Armando Félix e Francisco Chaveiro, do Grupo de Montemor; João d'Orey Pinheiro (Arnoso), do Grupo de Lisboa; António Oleiro Maltez e Francisco Picão Caldeira, do Grupo de Évora. Nesse Grupo fardou-se também de forcado o peão de brega Ludovino Bacatum.

Anos depois outros forcados amadores actuaram na República Mexicana, sendo o Grupo de Évora, comandado por João Nunes Patinhas, o primeiro a pisar a arena da Plaza Monumental de México em Março de 1976.

No México houve continuadores locais e hoje são alguns grupos de forcados amadores desse país que executam a mais autêntica arte da tauromaquia portuguesa: a pega. Fardam-se à portuguesa e mantêm os conceitos do Forcado Amador.

O cartaz aqui exposto de uma corrida que se vai realizar no dia 27 deste mês na “Plaza de Toros de Santa María” e relacionado com os 35 anos do Grupo de Forcados Queretanos, marca a extensão da portugalidade nesse enorme país da América do Norte.

Viva México!

Viva o Grupo de Forcados Queretanos!

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D